terça-feira, 1 de novembro de 2016

Fogo fátuo, poema RCF





Que fogo me faz fátuo?
Este músculo retorcido do espírito
é um desembainhar de inventários.
A beleza me fascina,
tempestade de enredos,
remota revelação de que algo
pode ser precioso
sem ser pedra ou metal.

(A máquina das mãos, 2009)

imagem retirada da internet: igor k marques




Nenhum comentário:

Postar um comentário