terça-feira, 3 de maio de 2016

Bandera, poema em espanhol Ronaldo Costa Fernandes





Mi bandera es no izar bandera.
Mi bandera es el toque de silencio,
la muerte del soldado desconocido
que soy.
¿Quién pondrá flores
en este monumento a mi batalla?
Mi orden no tiene progreso.


Traduzido por Alicia y por su grupo de traducción de la Universidade Nacional de Brasília


Bandeira



Minha bandeira é não dar bandeira.
Minha bandeira é o toque de silêncio,
a morte do soldado desconhecido
que sou.
Quem depositará flores
neste monumento à minha batalha?
Minha ordem não tem progresso.


(do livro A máquina das mãos, 7Letras, 2009)


Nenhum comentário:

Postar um comentário