quarta-feira, 7 de junho de 2017

Tíquete para o futuro, poema RCF









Abandonado tem quase sempre
uma dona no meio da vida móbile.
Aqui não há erro neste desterro.
Busco o certo em todo desconcerto.
Em extensos estão os tensos
– que podem estender o que é curto
transformar pontada em dor crônica
que também é longa como a palavra prolongamento.
Às vezes moro no desmoronamento
e fica difícil habitar o instável.
Viver é curioso: tem dois veres:
um vi passado e um ver contínuo
entre um e outro a vida
escorre como fio de chocolate quente
que de repente pinga e cessa no ar.
A vida – na vida só há ida,
não há retorno no que me torno.




(Memória dos Porcos, 7Letras, 2012)

Nenhum comentário:

Postar um comentário