sábado, 10 de setembro de 2016

Coração, poema RCF



Arte | Antonio Lee
Antonio Lee


Meu coração é um bicho
que coaxa dentro de mim
às vezes se acanha
outras dispara seu relógio de sangue.
Meu coração não sabe dançar:
quando começa seu descompasso
pisa no pé das minhas dores.
Ora late como cão
sem corpo ou rabo
ora lembra caixa vazia
um oco no sem jeito no peito.
Meu coração tem sua ginástica
corre mais que o dono
quando a hora é escassa.
Meu coração é um fole
que mal se enche
logo se esvazia.
Meu coração tem estômago fraco
não é bom da cabeça
tem mania de grandeza
quer ser melhor do que é,
embora saiba que, preso,
não tem pernas pro que der e vier.
Meu coração tem vocação militar
por isso marcha rubro
no mesmo lugar
como um recruta punido.


(do livro A máquina das mãos, Rio: 7Letras, 2009)



imagem retirada da internet: magritte

Nenhum comentário:

Postar um comentário