domingo, 19 de junho de 2016

Delicado equilíbrio, poema RCF






É como pesar a pluma de um lado
e o espanto do outro.
Neste prato da balança o asco
e neste outro o sopro.




(de Andarilho)

Nenhum comentário:

Postar um comentário