domingo, 18 de setembro de 2016

Bandeira, poema RCF



Resultado de imagem para vivian maier



Minha bandeira é não dar bandeira.
Minha bandeira é o toque de silêncio,
a morte do soldado desconhecido
que sou.
Quem depositará flores
neste monumento à minha batalha?
Minha ordem não tem progresso.






(do livro A máquina das mãos. Rio: 7Letras, 2009. Prêmio de Poesia 2010 da Academia Brasileira de Letras)


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário