quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Verso e reverso, poema RCF



 by alicia caudle. www.alteredbits.com.




Uma estrela no bolso
me acompanha ao trabalho.
Ninguém vê a estrela no bolso.
O dia se fez aziago
e sem remissão.
A estrela me espeta
o lado esquerdo do mundo.
Minha estrela no bolso
tem pontas, arestas e chuvas de verão.
As sete pontas da estrela
são sete versos num papel dobrado.
Carrego um sentimento
brilhante e gasoso
algo que ninguém vê
e que ilumina os passos erradios
com a luz expediente da vida.


(Memória dos porcos, 2012)


Nenhum comentário:

Postar um comentário