sábado, 14 de janeiro de 2017

O cavalo, poema RCF

Resultado de imagem para vivian maier



O cavalo,
            com seus músculos
                                      de corda,
                                      relincha
                                      ao pardo couro
                                      do pasto queimado.

A melhor cocheira
                                       é o prado
                                       onde a imensidão
                                       limita
                                                com os horizonte.
                                       O cavalo
                                       se apoia nas patas
                                       e
                                       na hipótese
                                       – o olhar gordo do cavalo
                                       averigua o relógio do tempo:
                                                       lento é o riacho
                                                       rápido o vento.

Eis que volto à fazenda
e em vez de cavalo
encontro um guindaste:
as patas de lagarta e o corpo de ferro.
O animal guindaste suspende
de uma vala o animal cavalo
que nela – vala – caiu.
Suspenso assim
é um bicho fora do seu habitat
não pertence ao gênero da terra
não é marinho,
mínimo,
mas aéreo, cavalo Mobil Oil
como nos letreiros da Texaco Company.

De cabo a raso,
o cavalo é um soldado
na infantaria do seu dono.
Nada comanda,
nem mesmo seu corpo.
Aprendeu na caserna da fazenda
a disciplina, o mando e a marcha.
O freio repuxa o instinto.
O relincho é um guincho
e essa diferença de sentinela
é apenas tristeza do bicho na tropa humana.

O cavalo – matutino – escova suas crinas no pente do vento.
Quem inventou o cavalo – besta de carga –
não foi a natureza e seu lombo
nem mesmo o furor utilitário
a essência nervosa da alma que prova
mas o gosto humano de servir-se do outro.



(do livro Estrangeiro. Rio: SetteLetras, 1997)















            

Nenhum comentário:

Postar um comentário