sábado, 18 de março de 2017

Hibiscos, poema RCF





Os hibiscos têm mãozinhas coloridas
e estiram o braço dos galhos
para apanhar cor nos meus olhos.
As flores levantam as saias
e mostram a coxa da manhã.
Quanta licenciosidade no jardim.




(Memória dos Porcos, 2012, 7Letras)

Nenhum comentário:

Postar um comentário