quinta-feira, 2 de março de 2017

Sou animal pacífico, poema RCF


Resultado de imagem para otto dix

Sou animal pacífico
mas não doméstico,
selvagem e rústico,
mas sem garras e peçonha.
Só a mim me causo dano,
só a mim rujo, ladro,
arranho, avanço e bico.

Não há necessidade de predador
para quem vive acossado.
Não tenho habitat.
Sou um bicho de pena,
um bicho de culpa,
um bicho de desencanto,
não preciso que me cacem
já me basto como caçador.


(do livro Memória dos porcos. Rio: 7Letras, 2012)




Nenhum comentário:

Postar um comentário