domingo, 9 de abril de 2017

A garça, poema de RCF


Resultado de imagem para garça pintura

Eis que a garça
                         para
e, assim,
fixa,
é flor do cerrado.
Tomada de susto,
abre asas,
é flor que voa
assim como a flor
é a garça
fixa
no chão.

Vem, me diz,
não és
garça e flor?
Assim,
fixa,
no cerrado de meus olhos,
não expandes
a fixidez do teu olhar
– infinito e horizonte –
e
quando
teus cabelos voam,
qual a asa de garça
– graciosa –
não és
flor que voa?




(do livro Estrangeiro, 1997)





Nenhum comentário:

Postar um comentário