quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Goya, poema RCF










Há um instante
entre o desejo do homem
e a fúria de Deus
que a luz falsa dos quadros
passa a ser a única capaz
de iluminar o destino verdadeiro.








(Estrangeiro, 1997)

Nenhum comentário:

Postar um comentário