quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Picadeiro de ruínas, poema RCF


 Ilustração | Stamatis Laskos
Estou abandonado ao próprio eixo
que de mim me gira e me solta frouxo,
tudo escurece ao se perder o alvo,
um homem que esqueceu do seu agosto.
Morto me encontro vivo e vivo
me sinto falecido das faculdades
contra o açude da memória
que me transborda de passado.
Minha razão – cavalo esquivo –,
trota no picadeiro de dúvidas,
percebo o salto triplo
do erro: o nulo, o vago, o curvo.
O interruptor das pálpebras
desliga a realidade.



(do livro O difícil exercício das cinzas. Rio: 7Letras, 2014)




(imagem: Stamatis Laskos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário