sábado, 10 de junho de 2017

Mar traçado a régua, poema RCF






Aqui só existe o mar
e o horizonte traçado a régua.
Sou apenas um homem
em pé na areia dos anos,
com os pés espumando.
O dia se impõe, morno,
e penso no tempo,
onda contínua,
nela entramos como quem pega jacaré,
até a onda nos largar exauridos
e continuar sua reta até uma praia
a que nunca chegará.




(do livro Memória dos porcos. Rio: 7Letras, 2012)



(foto:vivan maier)


Nenhum comentário:

Postar um comentário