sábado, 21 de janeiro de 2017

A fuga do risco


 

Por um caminho eu vinha
carregando nos olhos a dúvida
que faz aparecer e desaparecer
a realidade.
 
Por um obséquio do círculo,
que não deixa nada escapar,
a dúvida em seu trapézio
colocava óculos de grau
em fatos que não eram míopes
nem ao menos de perto se turvam.
 
Quero fugir do risco
que separa, como nas estradas,
os que vão e os que vêm,
um risco de mão dupla
que pode se tornar
um acidente dos sentidos.
 
 
 
( do livro O difícil exercício das cinzas. Rio: 7Letras, 2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário