quinta-feira, 20 de abril de 2017

Cine Éden, poema RCF

Neste local, funcionou por muitos anos o Cine Eden, sensação da garotada ludovicense nas décadas de 1940, 1950, 1960 e 1970. Situado na rua Grande, onde hoje há uma grande loja de departamentos. São Luis Maranhão, janeiro/2011.
No cine Éden, hollywood da Rua Grande,
a leste de coisa alguma,
o mundo tinha a dimensão de
seis metros estirados de pano.

As janelas abertas deixavam ver o céu
como se fosse a tela e os astros
representassem piscando os olhinhos
de gás das estrelas.

Cleópatra se sentava na cadeira de madeira
depois de servir o jantar aos patrões.
E Marco Antônio,
o filho da puta do Marco Antônio,
tinha as mãos calosas de pedreiro.

Ó tempo das imagens fugidias,
o mundo como um grande rolo,
a lata de lixo da História
estava cheia de papel amassado dos bombons Pippers.
Que viveremos nós depois do
the end da História?


( Eterno passageiro, Ed. Varanda, 2004)

imagem retirada da internet: by Nando Cunha


Nenhum comentário:

Postar um comentário